A VOZ DO SILÊNCIO E DA SOLIDÃO IMENSA..


A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Vergílio Ferreira

515

515
A Distinção Tem um Código...

Zeca Afonso-Traz Outro Amigo Também


Demissão!

Uma janela de oportunudade

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

The Kills - Black Balloon ...







Monotonizar a existência, para que ela não seja monótona. Tornar anódino o quotidiano, para que a mais pequena coisa seja uma distracção. No meio do meu trabalho de todos os dias, baço, igual e inútil, surgem-me visões de fuga, vestígios sonhados de ilhas longínquas, festas em áleas de parques de outras eras, outras paisagens, outros sentimentos, outro eu.
Mas reconheço, entre dois lançamentos, que se tivesse tudo isso, nada disso seria meu.
FERNANDO PESSOA

PORTUGAL 2012......

FOTO BY IFIGÉNIO

A cabeça do sarkozy vai ser a próxima a rolar...E para Portugal não vai nada,nada,nada?

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A ÚLTIMA REUNIÃO DA TROIKA EM PORTUGAL....

OBEDECE NÃO QUESTIONES!!!!!1

A Arte de Viver...no tempo que nos resta ainda para viver....


  
A arte de viver - dado que para viver é preciso fazer sofrer os outros (ver vida sexual, ver comércio, ver qualquer actividade) - consiste em habituarmo-nos a fazer todas as patifarias sem abalar o nosso equilíbrio interior. Ser capaz de todas as patifarias é a melhor bagagem que um homem pode possuir.

Cesare Pavese, in "O Ofício de Viver"

DUPLEX JORGE PALMA - Escuridão ..eterna....vêm aí.....e o Optimista céptico ...


Eixo Franco-Alemão: Obrigado!A Europa só tem recebido mimos vossos

Financeiro detido no Rio...

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

a igreja acha que nós somos desleixados..daí aceitar acabar com dois feriados...desleixo de quê'?Talvez este tipo de desleixo da dita...




A Igreja Católica Portuguesa aceita a mudança de data de dois feriados religiosos se o Governo renunciar a outros dois civis, revelou hoje o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa.


«É esta a condição», sublinhou Manuel Morujão adiantando que «os bispos manifestaram o seu desejo de colaborar com o Governo» na resolução da crise embora tenham consciência que «suprir um feriado não é uma varinha mágica que resolva os problemas da economia nacional».


Contudo, explica o padre, «este é um sinal de colaboração com o trabalho, criatividade» e uma forma de «evitar os excessos, desleixo, desmotivação».


A sugestão dos dois feriados, que Manuel Morujão se escusou a identificar, é agora apresentada pela CEP à Santa Sé, a quem competirá autorizar a mudança após negociações com o Governo Português.


«A minha percepção é que os feriados passarão a ser celebrados no domingo seguinte», disse o porta-voz da CEP.


Este foi um dos temas abordados pelos bispos católicos portugueses que estão reunidos em Fátima desde segunda-feira.


A 178ª Assembleia Plenária da CEP termina na quinta-feira. Representa a Igreja Católica em Portugal e é composta pelos bispos diocesanos, incluindo o das Forças Armadas e de Segurança, os bispos coadjutores e auxiliares.


Lusa/SOL

Ain't got no...I got life...Nina Simone

litigante de má fé.

A justiça quer levar a tribunal um sem-abrigo, acusado de tentar furtar seis chocolates de um supermercado Lidl no Porto. A empresa não foi lesada, mas decidiu apresentar queixa e o homem, cujo paradeiro é incerto, foi formalmente acusado pelo Ministério Público (MP) do crime de furto simples.






Não seria boa altura de o ministério público arquivar estes processos absurdos por falta de provas? É que isto custa-nos dinheiro...particularmente se pagarmos impostos

O dr Vara...