A VOZ DO SILÊNCIO E DA SOLIDÃO IMENSA..


A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Vergílio Ferreira

515

515
A Distinção Tem um Código...

Zeca Afonso-Traz Outro Amigo Também


Demissão!

Uma janela de oportunudade

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Preto no Branco-paulo macedo...

Conteúdo

Paulo Macedo
Dados Biográficos
Habilitações
Experiência/Percurso Profissional
Fontes
Artigos
Polémica com o seu salário de Director-Geral dos Impostos
O caso da dívida para com as Finanças
O caso do blog e das fugas de informação
A Missa da DGCI
Saída da Direcção Geral dos Impostos
Reacções à sua nomeação para Ministro da Saúde
Renúncia aos cargos no BCP e perda de rendimentos enquanto Ministro
Entrevistas
Outras Referências
Ficheiros anexados a esta página
Comentários

1. Paulo Macedo

Gestor sem filiação partidária conhecida, surgiu no panorama público quando em 2004 se tornou director-geral dos Impostos, a convite de Manuela Ferreira Leite, então ministra das Finanças de XV Governo Constitucional de Durão Barroso.

A principal razão de tanta atenção com a sua nomeação foi a polémica quanto ao seu salário, de aproximadamente 23 mil euros brutos, que ultrapassava em muito o de qualquer responsável de cargos públicos, inclusive o do Presidente da República.
A modalidade de requisição utilizada foi também alvo de críticas devido à maior parte do ser salário ser pago pelo BCP, com a condição que poderia ser chamado a funções pontuais no banco. Foi ainda descoberto que o Estado pagava cerca de 3.700 euros por mês ao fundo de pensões do BCP.

No entanto, as suas acções enquanto director dos impostos foram bem recebidas, sendo apontado como o responsável pela modernização e informatização da máquina fiscal.

Em 2005, o XVII Governo Constitucional, de maioria PS, publicou o Estatuto do Pessoal Dirigente da Função Pública que proibiu na função pública ordenados superiores ao do primeiro-ministro, cerca de 5360 euros.

Isto representava um corte substancial na remuneração de Paulo Macedo.

Apesar da vontade do governo em manter Paulo Macedo nas funções e de uma tentativa de negociação, quando terminou a comissão de serviço em 2007, este solicitou a não continuação da requisição.

Em 2011 volta à ribalta política, assumindo o cargo de Ministro da Saúde do XIX Governo Constitucional.

2. Dados Biográficos




Nome Completo:


Paulo José Ribeiro Moita de Macedo

Data de nascimento:


14 de Julho de 1963

Lugar de nascimento:


Lisboa

2.1. Habilitações

Ano


Escola


Observações

1986


Instituto Superior de Economia e Gestão


Licenciatura em Organização e Gestão de Empresas

2.2. Experiência/Percurso Profissional

Início


Fim


Local


Função

1986


1991


Instituto Superior de Economia e Gestão


Assistente estagiário

1986


1988


Arthur Andersen


Assistente

1988


1990


Arthur Andersen


Assistente Senior

1990


1993


Arthur Andersen


Director

1991


1999


Instituto Superior de Economia e Gestão


Assistente convidado

????


????


Instituto Superior de Economia e Gestão


Membro do conselho

1993


1998


BCP - Banco Comercial Português


Director

1998


2000


Comercial Leasing, S.A.


Administrador

2000


2001


Interbanco, S.A.


Administrador

2001


2004


Companhia Portuguesa de Seguros de Saúde, S.A. (Médis)


Administrador

2003


2004


Seguro e Pensões, SGPS, S.A.


Membro da comissão Directiva

2004


2007


Direcção Geral dos Impostos


Director-geral

2007


2011


BCP - Banco Comercial Português


Director-geral

2008


2011


Fundação Millennium BCP


Vice-presidente do Conselho de Administração Executivo

2010


2011


Euronext


Vogal do conselho de supervisão

2011


Presente


XIX Governo Constitucional


Ministro da Saúde

2.3. Fontes

Portal do Governo

Wikipédia

Millennium BCP

IAPMEI

Perfil no jornal Dinheiro Vivo de 2011.06.17

Perfil no jornal Económico Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.17

Perfil no Jornal de Negócios Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.17

Perfil no Correio da Manhã Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.17

Perfil no jornal I-Online Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.18

Perfil no DN Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.17

Perfil no jornal Público Link para a cache do Busca Tretas de 2011.06.17

3. Artigos

3.1. Polémica com o seu salário de Director-Geral dos Impostos

Salário do novo Director-Geral dos Impostos é parcialmente pago pelo BCP Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2004.05.27
Fonte: TVI 24
Autor: Sandra Pedro

Segundo uma fonte oficial do Ministério das Finanças, citado pelo o Jornal de Negócios, «o salário como ocorre em todas as requisições, é pago pela entidade de origem e é ressarcido pelo Estado». Ao traduzir-se para números, isto significa que dos 23.480 euros que Paulo Moita Macedo vai receber, cerca de 17.092 euros serão pagos pelo Millennium BCP.

TRABALHAR SEM POSSE Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2004.05.29
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: António Sérgio Azenha

O novo director-geral dos Impostos está em funções desde o dia três de Maio, mas ainda não tomou posse oficial. Com um salário mensal de 23.480 euros, Paulo Macedo, que foi requisitado pela Administração Fiscal ao grupo Millennium BCP, poderá ser empossado oficialmente até 30 dias após o início de funções, ainda que este prazo possa ser prorrogado por mais tempo, como frisou ontem o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

Novo director do fisco viu o seu ordenado crescer 33% Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2004.06.01
Fonte: DN
Autor: Redacção

O novo director-geral dos Impostos, Paulo Moita Macedo, ganhou 17.595 euros por mês durante o ano passado enquanto quadro do Millennium BCP, um valor distante dos 23.840 euros que passou a auferir no novo cargo e que o Ministério das Finanças apontou como sendo o seu vencimento à data em que foi requisitado ao banco.

Empenho do «patrão» dos Impostos justifica salário alto Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2004.07.20
Fonte: TVI 24
Autor: Tatiana Alegria com Sara Marques

Bagão diz que não substituiu Paulo Macedo e que tem questões mais sérias com que se preocupar. Sindicato está muito satisfeito com o trabalho do novo director-geral...

Director do fisco com alta pensão Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2005.07.09
Fonte: DN
Autor: Redacção

O Governo está a pagar 3706 euros por mês ao fundo de pensões do BCP, por conta da reforma de Paulo Macedo, o director de impostos, detentor do mais alto salário - no valor de 21236 euros - na Função Pública. Enquanto alguns juristas contestam a "validade jurídica" da transferência de dinheiros para o fundo, os sindicalistas protestam contra os valores envolvidos "quando há inspectores tributários que não fiscalizam empresas por falta de verbas". A transferência para o fundo de pensões significa uma segunda tranche de rendimentos a beneficiar Paulo Macedo, até agora não revelada pelo Governo.

3.2. O caso da dívida para com as Finanças

Paulo Macedo foi alvo de execução fiscal por dívidas Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2005.04.14
Fonte: TVI 24
Autor: Redacção / Dn/Am

Paulo Moita de Macedo, o director-geral dos Impostos, foi alvo de uma execução fiscal movida pelas Finanças de Benavente, relativo a uma dívida de Contribuição Autárquica - actual Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) - referente a 2001.

«Patrão» do Fisco paga dívida dois anos depois do prazo Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2005.04.14
Fonte: TVI 24
Autor: Redacção

Paulo Macedo confirma a dívida ao DN , explicando que o pagamento só foi feito em Dezembro de 2004, cerca de meio ano depois de ter assumido as actuais funções e mais de dois anos depois do prazo.
O director-geral dos Impostos, que se manifestou contra a «violação de segredo fiscal», justificou o atraso no pagamento de pelo menos dois anos «por não ter recebido o aviso» para pagar.
Um funcionário do Fisco que prefere manter o anonimato disse ao DN que essa é «uma desculpa utilizada por muitos contribuintes devedores».

Casa de Paulo Macedo avaliada abaixo do mercado Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2005.04.15
Fonte: JN
Autor: Rudolfo Rebêlo

Paulo Moita de Macedo, o director--geral dos Impostos, a quem foi instaurado um "processo de execução fiscal" por dívidas em contribuição autárquica referente a 2001, viu a sua propriedade na aldeia de Santo Estêvão, concelho de Benavente, avaliada em 70 mil euros, quando os preços de mercado "atingem algumas centenas de milhares de euros, de acordo com algumas fontes. É uma "casa de campo", afirmam, que facilmente ultrapassa a quantia apurada para efeitos fiscais.

3.3. O caso do blog e das fugas de informação

Alto-quadro das Finanças é autor de blogue procurado pela PJ e Interpol Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2010.03.02
Fonte: Jornal de Negócios

Autor: Jornal De Negócios Online - Negocios@Negocios.Pt

O jornal "i" falou com Victor Sancho, quadro superior da Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo, que foi procurado, sem êxito, pela PJ e pela Interpol após uma queixa apresentada por Paulo Macedo...
Em declarações ao jornal, Sancho diz não ser o responsável por qualquer fuga, alegando não ter “acesso a informação confidencial” e que nunca poderia ter sido o responsável “por quaisquer fugas publicadas em jornais, nem mesmo a relativa a um atraso no pagamento de um imposto por parte do Dr. Paulo Macedo”.

3.4. A Missa da DGCI

Paulo Macedo convidou funcionários dos Impostos a assistir a missa Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.01.10
Fonte: Sol
Autor: Redacção

Os funcionários do Fisco foram convidados a assistir, ao final da tarde de quarta, na Sé de Lisboa, a uma missa de acção de graças encomendada pelo director-geral dos Impostos...
A fonte citada pelo JdN afirmou que se trata de «uma missa normal, em que será feita menção à Direcção-Geral dos Impostos e aos seus funcionários», e que será celebrada a título gratuito pelo patriarcado de Lisboa.
Os funcionários foram, de acordo com o jornal, convidados oralmente pelas chefias ao fim da tarde de terça-feira, frisando algumas das mensagens transmitidas que a iniciativa decorre no «integral respeito pelas convicções religiosas de cada um»...

3.5. Saída da Direcção Geral dos Impostos

Governo quer retirar 80% do salário a Paulo Macedo Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2006.11.12
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: Redacção

O director geral dos Impostos termina o mandato em Maio do próximo ano. O Governo mantém a porta aberta para que Paulo Macedo continue no cargo, mas só se aceitar baixar o seu salário em quase oitenta por cento.

Sindicato apoia Paulo Macedo Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.01.07
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: Sandra Rodrigues Dos Santos

Se dependesse dos trabalhadores da Administração Fiscal, Paulo Macedo continuaria à frente da Direcção-Geral dos Impostos (DGCI). Para o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos o Governo está a fazer um erro ao mudar o director-geral apenas por causa do salário.

Governo quer manter director dos Impostos Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.01.07
Fonte: DN
Autor: Redacção

O Governo pretende encontrar uma solução para manter o director-geral dos Impostos, Paulo Macedo, "mas sem criar uma situação de excepção que contradiga as orientações de rigor e disciplina e a legislação aprovada" para a remuneração de cargos públicos, disse ao DN o ministro de Estado e das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos.

Paulo Macedo recusa prémio de 252 mil euros Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.04.05
Fonte: Económico
Autor: Redacção

Paulo Macedo recusou receber um prémio anual de 252 mil euros para colmatar a diferença salarial decorrente do tecto legal de 5.360 euros, imposto para os dirigentes públicos, e o seu vencimento actual que ascende a 23 mil euros.
Segundo noticia hoje o 'Semanário Económico', a proposta foi apresentada em Março pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, que pretendia solucionar a perda de 75% do salário do director-geral dos Impostos com a introdução de um sistema de avaliação, que a coberto da sua aplicação geral permitiria ao Governo assegurar discricionaridade na atribuição de um prémio muito superior ao director-geral dos Impostos.

Paulo Macedo abandona liderança dos Impostos a seu pedido Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.05.03
Fonte: Público
Autor: Lusa

No dia em que termina a comissão de serviço de Paulo Macedo, fonte do gabinete de Teixeira dos Santos assegurou que Paulo Macedo irá deixar a função de director-geral de Impostos, não sendo renovada a sua requisição.

Banca Teixeira Pinto diz que Paulo Macedo vai ter funcoes relevantes no Millennium BCP Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.06.10
Fonte: DN
Autor: Lusa

O presidente executivo do Millennium BCP, Paulo Teixeira Pinto, afirmou hoje que o director-geral dos Impostos, Paulo Macedo, vai ter "funções relevantes" no Millennium BCP, "próprias do seu estatuto", quando regressar ao banco.

Impostos: Paulo Macedo envia mensagem de despedida aos funcionários a agradecer apoio Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2007.08.01
Fonte: JN
Autor: Lusa

"Foi um privilégio poder contar convosco na prossecução dos objectivos fixados, frequentemente excedidos graças ao empenho e dedicação de todos. E foi também um privilégio poder participar num esforço de mudança que continuará a dar frutos no futuro", afirmou Paulo Macedo em mensagem enviada aos funcionários dos impostos a que a agência Lusa teve acesso.

3.6. Reacções à sua nomeação para Ministro da Saúde

Fundador do SNS "surpreendido" com Paulo Macedo Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.17
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: Redacção

O fundador do Serviço Nacional de Saúde (SNS), António Arnault, confessou-se surpreendido com a escolha de Paulo Macedo para titular da área, considerando que o Governo optou por dar à gestão da Saúde um "pendor mais económico".

Ordem dos Médicos elogia Paulo Macedo, mas queria antes um médico Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.17
Fonte: I-Online
Autor: Agência Lusa

“A Ordem gostaria que fosse um médico a presidir à pasta da Saúde. Mas não conhecendo pessoalmente, tenho a imagem de uma pessoa exigente, rigorosa, inovadora e dialogante”, afirmou o bastonário José Manuel Silva.

BE critica escolha de "especialista em cobrar impostos" para Saúde Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.17
Fonte: I-Online
Autor: Agência Lusa

João Semedo deixou ainda duras críticas à escolha de Paulo Macedo para o ministério da Saúde, salientando que colocar "um especialista em cobrar impostos", pode traduzir "a intenção do Governo em pôr a cobrar os cuidados de saúde" que são prestados. "Julgo que esse é um péssimo caminho e que isso levará em linha reta à desqualificação do Serviço Nacional de Saúde como ele existe hoje"...

ANF: Paulo Macedo é uma "belíssima solução" para a Saúde Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.17
Fonte: I-Online
Autor: Agência Lusa

O presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF) elogiou hoje a escolha de Paulo Macedo para titular do Ministério da Saúde, destacando o seu rigor e capacidade de enfrentar desafios difíceis.

Paulo Macedo 'não podia ser melhor escolha', Correia de Campos Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.18
Fonte: Sol
Autor: Redacção

Em declarações à Agência Lusa, Correia de Campos realçou a «boa capacidade de gestão de recursos humanos e de gestão financeira» de Paulo Macedo, considerando-o por isso «uma boa escolha». «Pode parecer estranho um homem da banca ir para a saúde, mas não podia ser melhor», adiantou.

3.7. Renúncia aos cargos no BCP e perda de rendimentos enquanto Ministro

Futuro ministro da Saúde renuncia ao cargo de vice-presidente no BCP Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.06.20
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: Redacção

O vice-presidente do conselho de administração do BCP, Paulo Macedo, renunciou ao mandato no Banco Comercial Português para integrar o Governo, informou a instituição financeira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Ministro da Saúde perde meio milhão/ano Link para a cache do Busca Tretas
Data: 2011.07.06
Fonte: Correio Da Manhã
Autor: Luís Figueiredo Silva

... Paulo Macedo ganhava 39 mil euros mensais nas suas anteriores funções de vice-presidente do BCP e agora, como ministro da Saúde, vai receber 4567 euros brutos (remuneração--base). Ou seja, perde mais de 34 mil euros por mês.
Feitas as contas, Paulo Macedo vai perder 481 mil euros em apenas um ano. Se cumprir a legislatura (quatro anos), o responsável máximo da Saúde perderá perto de dois milhões de euros.

Sem comentários:

Enviar um comentário