A VOZ DO SILÊNCIO E DA SOLIDÃO IMENSA..


A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Vergílio Ferreira

515

515
A Distinção Tem um Código...

Zeca Afonso-Traz Outro Amigo Também


Demissão!

Uma janela de oportunudade

sábado, 4 de junho de 2011

Reflexões 3 -Os Homens do Presidente

reflexão...

reflexão

Du Hast

Vaccaciones in Kuwait.Merda d'artista

A Mudança só se Dá na Continuidade ..A 5 de JUNHO....



Dirigirmo-nos a alguém com a missão de que se transforme noutro, é irmos com a embaixada de que ele deixe de ser ele. Cada qual defende a sua personalidade, e só aceita uma mudança na sua maneira de pensar ou de sentir, na medida em que esta alteração possa entrar na unidade do seu espírito e enredar-se na sua continuidade; na medida em que essa mudança se puder harmonizar e se conseguir integrar com tudo o resto da sua maneira de ser, pensar e sentir, e possa, por outro lado, enlaçar-se nas suas recordações. Nem a um homem, nem a um povo – que, em certo sentido, também é um homem – se pode exigir uma mudança, que desfaça a unidade e a continuidade da sua pessoa. Pode-se mudá-lo muito, quase até por completo; mas sempre, dentro da continuidade.
É certo que, em certos indivíduos, acontece aquilo a que se chama mudança de personalidade; mas isso é um caso patológico, e é como tal que os psiquiatras o estudam. Nessas alterações de personalidade, a memória, base da consciência, arruina-se por completo e, ao pobre paciente, só resta, como substracto de continuidade individual – já que não pessoal -, o organismo físico. Tal enfermidade equivale à morte para o sujeito que dela padece; para os que não equivale à sua morte é para os seus herdeiros, se tiver bens de fortuna: e essa enfermidade não é senão uma revolução, uma verdadeira revolução.
Miguel de Unamuno,

The Smiths - Miserable Lie (Live1985) ..A 5 DE JUNHO.....



Leituras para um dia de reflexão.....


quinta-feira, 2 de junho de 2011

A 5 DE JUNHO MASTIGUE RATOS QUANDO VOTAR..SABOREIE BEM...E DEPOIS ENGULA....

CHIÇA...E AINDA DIZEM QUE NÓS SOMOS BURROS....!!!A SEGUIR VAMOS VENDER AREIA AOS ÁRABES E GELO AOS ESQUIMÓS.......

MP investiga burla de milhões a Angola

Hoje
MP investiga burla de milhões a Angola
Grupo de empresários portugueses é suspeito de ter feito vendas fictícias para os angolanos. Entre elas estão limpa-neves.
O Ministério Público está a investigar uma alegada burla gigantesca ao Estado angolano, supostamente cometida por empresários portugueses com ligações a elementos do Banco Nacional de Angola.Segundo o DN apurou, em causa estarão mais de 300 milhões de euros em pagamentos do BNA para produtos que nunca chegaram àquele país ou outros completamente fictícios, como limpa-neves .A maioria dos pagamentos saiu de uma conta do Estado angolano no Banco Espírito Santo de Londres. O alarme soou quando o banco comunicou que a conta estava quase a zero.



terça-feira, 31 de maio de 2011

By the way..."Unman, Wittering and Zigo "



Duas passagens deste magnífico filme...

Sócrates - Os melhores (?) momentos - RIP Governo (2005-2011) ....

Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me - The Smiths...

Política de Interesse ...SEM NENHUM INTERESSE PELOS OUTROS..A NÃO SER DELES PRÓPRIOS...OS VAMPIROS DA GOVERNAÇAO....


Em Portugal não há ciência de governar nem há ciência de organizar oposição. Falta igualmente a aptidão, e o engenho, e o bom senso, e a moralidade, nestes dois factos que constituem o movimento político das nações.
A ciência de governar é neste país uma habilidade, uma rotina de acaso, diversamente influenciada pela paixão, pela inveja, pela intriga, pela vaidade, pela frivolidade e pelo interesse.
A política é uma arma, em todos os pontos revolta pelas vontades contraditórias; ali dominam as más paixões; ali luta-se pela avidez do ganho ou pelo gozo da vaidade; ali há a postergação dos princípios e o desprezo dos sentimentos; ali há a abdicação de tudo o que o homem tem na alma de nobre, de generoso, de grande, de racional e de justo; em volta daquela arena enxameiam os aventureiros inteligentes, os grandes vaidosos, os especuladores ásperos; há a tristeza e a miséria; dentro há a corrupção, o patrono, o privilégio. A refrega é dura; combate-se, atraiçoa-se, brada-se, foge-se, destrói-se, corrompe-se. Todos os desperdícios, todas as violências, todas as indignidades se entrechocam ali com dor e com raiva.
À escalada sobem todos os homens inteligentes, nervosos, ambiciosos (...) todos querem penetrar na arena, ambiciosos dos espectáculos cortesãos, ávidos de consideração e de dinheiro, insaciáveis dos gozos da vaidade.


Eça de Queiroz

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Futre no seu melhor...embora uns chulos que estavam na assistência não tenham achado graça...


Mira Amaral não achou graça nenhuma,que enjoado...

DE ALTERNE EM ALTERNE ATÉ Á CHULICE FINAL.....












DIA 5 HÁ ELEIÇÕES...



ATENÇÃO...NADA É O QUE APARENTA...

The Smiths - Half A Person ..O QUE NÓS SOMOS PARA A TROIKA...NADA MAIS DO QUE ISSO....

A MUTAÇÃO DOS PEPINOS....SERÁ QUE NÃO EXISTE MÃO DO FMI AÍ? DIMINUINDO A POPULAÇÃO DIMINUEM OS CUSTOS..Jacó E Jacozinho - Pepino ....

domingo, 29 de maio de 2011

Gente de Palavra...

Estava mesmo agora a ouvir o comício que está a ser passado em directo nas 3 tvs de treta do cabo.


E ouvi-o ,pasme-se, dizer qualquer coisa como:
«Gente de palavra,gente como nós, em que basta a palavra...»

Pois...Como a palavra dada por Aguiar Branco  aos professores que iam revogar a avaliação...E que aconteceu apenas quando a fruta estava madura para eles... 

Se o Futuro é agora,começa pela aldrabice...

MIGUEL GASPAR – PÚBLICO O poeta francês Paul Valéry escreveu um dia que a política é a arte de impedir as pessoas de se meterem nos assuntos que lhes dizem respeito...EXCELENTE CRÒNICA.... ACERTA NA MOUCHE...



O poeta francês Paul Valéry escreveu um dia que a política é a arte de impedir as pessoas de se meterem nos assuntos que lhes dizem respeito.

A frase do autor de Ensaio de uma Conquista Metódica ilustra a perplexidade dos cidadãos que vão escolher um governo cujo programa político será o mesmo, independentemente de quem vier a ganhar as eleições.
Não admira que os eleitores se sintam tão desconfortáveis nesta campanha, como se estivessem numa festa para a qual não tinham sido convidados. Um pouco como se tivessem de pedir desculpa pelo incómodo.

O que não deixa de ser um paradoxo. Nunca como desta vez estão tantas coisas em jogo para tantas pessoas. O memorando da troika, se vier a ser aplicado, vai virar o país do avesso e mudar nossa forma de viver. Se não vier a ser aplicado, então estaremos condenados ao mesmo remédio que os gregos estão a sofrer.

Por outras palavras, os cidadãos comuns não fizeram nada para desencadear esta crise, cujo preço estão e vão continuar a pagar. E, ao mesmo tempo, não têm capacidade para influenciar as decisões que vão moldar o seu futuro.

Este sentimento de impotência reconduz-nos à citação de Valéry: nesta eleição, o essencial é impedir os eleitores de decidirem o que lhes diz respeito.

Por isso, em vésperas do início desta campanha eleitoral sem precedentes, talvez faça sentido reflectir mais sobre a forma como a crise económica está a limitar o exercício da democracia do que nas pequenas tácticas do dia-a-dia de campanha.

Não é uma novidade os mercados condicionarem a capacidade das nações em decidirem quanto ao seu futuro. Essa realidade já existia no século XIX. Mas o maior risco que corremos ao subirmos para o barco da troika é não reflectirmos sobre as causas desta fragilização do sistema político.

Em “Inside Job” – o antológico documentário sobre a crise financeira de 2008 – o realizador Charles Ferguson explica-nos como Wall Street passou a dominar o poder político na América. Mas em países como o nosso, o poder político também se tornou refém do mundo dos negócios.

E o que tem isto a ver com a crise da dívida? Apenas que ao longo dos anos a promiscuidade entre a política e os negócios e a fragilidade do sistema político perante os grupos instalados em todas as áreas da sociedade reduziu os governos a meros gestores dos seus interesses e de outros interesses.

Como os gestores loucos de Wall Street, os governos que pensam assim só podem sobreviver se assumirem que o edifício nunca se desmoronará, mesmo se as suas fundações forem virtuais.

Precisávamos de mudar a forma como fazemos a política e como os cidadãos se envolvem na política – as manifestações dos últimos dias em Espanha mostram claramente como a política deixou de conseguir falar com a rua. Mas por enquanto só temos uma campanha eleitoral – uma campanha com a troika. Façamos o possível para que ela nos diga respeito.



José Sócrates - As contradições no Gato Fedorento...ESQUIZOFRENIA SÓCRÁTICA.....

The Rolling Stones : Sympathy For The Devil (live) ...qualquer que ele seja após 5 de Junho....


Queixas-te porque não encontras nada a teu gosto?
São então sempre os teus velhos caprichos
Ouço-te praguejar, gritar e escarrar…
Estou esgotado, o meu coração despedaça-se.
Ouve, meu caro, decide-te livremente.
A engolir um sapinho bem gordinho,
De uma só vez e sem olhar.
É remédio soberano para a dispepsia.


Friedrich Nietzsche

“Sinto-me deveras optimista quanto ao futuro do pessimismo.”
Jean Rostand

Os Clássicos da Carraça-Franco e Ciccio...Não está legendado,mas nós portugueses costumamos ser poliglotas....